A menina e a planta

13/03/2020

Falar sobre tristeza, angústia, medo para crianças e adolescentes não é fácil, ma sé urgente. Cada vez mais a depressão infantil e juvenil tem aumentado em todo o mundo, mas como tocar no assunto ou ajudar crianças e jovens a reconhecerem estes sentimentos? A literatura pode ajudar muito e A menina e a planta, de Marcia Paganini, com ilustrações de Andréia Vieira (Editora Madrepérola) trata o tema com muita sensibilidade. Além disso, a obra é muito poética, o que dá uma leveza encantadora.  

Já imaginou se de repente começasse a nascer uma planta dentro de uma menina? Tudo começa com uma coceira no pé que rompe a pele, brotando onde não deveria, A menina não entende o que é aquilo, sente vergonha, não a deseja ali, mas não consegue contê-la. Brota como um sentimento que tentamos esconder até de nós mesmos. Está ali oculto, mas nos influenciando sem que nos damos conta até que resolvemos entender o que estamos sentindo e redescobrimos que não somos só razão, mas também muita emoção, e que, ás vezes, não fomos ensinados a lidar com elas. Algumas são feias, não a queremos, mas estão ali.

A história segue, pois a menina aprende a lidar com sua planta, e descobre que pode cultivá-la junto com outras, no jardim das emoções, equilibrando seus sentimentos e, aprendendo que alegrias e tristezas, passageiras ou não, podem ser amenizadas quando lidamos com elas ao invés de ignorá-las e deixá-las crescer a ponto de nos sufocar. 

A menina e a planta é uma obra que precisa ser lida. Recomendo a pais, professores e psicólogos porque prevenção e educação emocional são fundamentais nos dias de hoje.