Foi ele escreveu a ventania

07/07/2020


Livro infantil é inspiração para gostar de ler poesia!

"Só uso a palavra para compor meus silêncios", assim conheci o poeta Manoel de Barros, um homem completo de vazios e sem eternidades, que dizia que tudo que sabia era que " a poesia estava guardada nas palavras". Como não se apaixonar? Ele, escritor modernista brasileiro, da geração de 45, agraciado com muitos prêmios nacionais. Eu, uma estudante, sufocada pelo mar revolto da adolescência.

Um belo dia, uma amiga escritora, manda um presente pelos Correios: Foi ele que escreveu a ventania. E ali, estava eu, novamente, encantada, redescobrindo Manoel de Barros, pelos olhos e sentimentos do menino Tui, que fica encantado ao descobrir como as palavras podem falar das coisas simples e das inexplicáveis.

E um belo dia fica triste ao descobrir que os poetas também morrem, ficam vivas apenas as palavras, os livros..., mas inocente não percebeu, que o poeta já havia escolhido continuar vivo, porque ele mesmo já assumira o ofício. E não há quem não queira arriscar a escrever uns versos ao conhecer esta obra de arte, que a escritora Rosana Rios e o ilustrador Mauricio Negro realizaram em homenagem ao poeta Manoel de Barros, publicado em 2017, pela Pulo do Gato, com direção editorial de Marcia Leite.

A História conta o despertar do menino Tui, de família pobre, como tantas, que tem sede de tudo, inclusive de água e de chuva e que gosta de poesia e é incentivado pela professora a percorrer os caminhos da leitura até que se transforma ele mesmo em poeta. A obra vai aos poucos mesclando a narrativa com poema e com as artes plásticas, numa fluidez de só quem tem a experiência de mais de 30 anos de escrita, como Rosana, consegue expressar. E o casamento das imagens com a história completam a experiência estética de maneira inspiradora. O tipo de leitura que nos deixa a sensação da leveza da alma, afinal, como diz outro poeta, tudo vale a pena ...

E para terminar, não posso deixar de recomendar esta obra de arte para adultos e crianças, com uma de suas poesias: "Quero ventar,/quero um vendaval,/preciso de ar, de nuvem,/ de água fresca./ Quero ser o menino da poesia, roubar um vento/ e sair correndo com a ventania.

Foi ele que escreveu a ventania
Rosana Rios e Mauricio Negro
Editora Pulo do Gato, 2017
44 páginas
R$43,00