Amizades que nascem em tempos difíceis

06/04/2019


Em momentos de crise a gente pode descobrir bons amigos. Ter amizades nas horas boas é muito fácil não é? E quando tudo dá errado e você tem pouco a oferecer? Esta é a história principal de A beija-flor e o Girassol, de Paula Vaéria Andrade, com ilustrações do mexicano Luis San Vicente, publicado pela Editora do Brasil, após o prêmio do Salão Internazionale Del Livro Di Torino, na Itália.

As fatalidades da vida podem acontecer a qualquer um de nós, mas nada como uma amizade especial para nos ajudar a atravessar o momento difícil. Uma história com muita solidariedade, compaixão e compreensão, que ensina aos pequenos que as dificuldades existem para todos, mas podem ser superadas.

Dodô, uma beija-flor fêmea e Gil, um grande girassol de jardim se conhecem após momentos de dificuldades e ambos precisam de ajuda. Dodô feriu a asa numa queimada, problema muito comum hoje em dia, principalmente na nossa floresta Amazônica, pela ganância dos ruralistas, mas consegue sobreviver, no entanto precisa se adaptar a vida no chão, sem conseguir voar nem se alimentar adequadamente e, claro, ficando mais vulnerável a seus pedradores. O girassol, apesar de ter donos que o cuidam, após uma viagem deles e uma falha de limpeza no irrigador automático do jardim, fica sem acesso a água, em tempo bem quente e sem chuva. Ambos se encontram no chão. E ajudando um ao outro, nasce uma amizade entre pessoas bem diferentes, valorizando as fraquezas e dificuldades de cada um.

A autora é poeta, designer e professora de artes. Criou projetos de grafite e multimídia para a Casa das Rosas, em São Paulo e já lançou seis livros infantis com design de livro-brinquedo. Já ganhou o Jabuti aos 21 anos e continua sua trajetória na escrita infantil e adulta.

Muito interessante para crianças e trazendo a discussão sobre a importância da preservação ambiental, questão que parece ainda não ter sido entendida por todos. Afinal, cuidar do meio é cuidar do planeta que vivemos, da qualidade do ar que respiramos, da água que bebemos, do solo onde plantamos nossos alimentos, ou alguém ainda não entendeu que preservação do meio ambiente e saúde humana estão relacionados umbilicalmente?

Fica o apelo para pensarmos todos na maior riqueza que o Brasil tem: a floresta amazônica, seus rios, árvores, diversidade de fauna e flora que podem conter princípios ativos para a cura de muitas doenças. O mundo defende a Amazônia porque entende que o ar e a água dos rios e mares estão sempre circulando por todo o planeta, independente de que continente você está, será afetado pela qualidade deles.